DiaTipo PE Letterpress

Veja o que rolou no evento que aconteceu nesta segunda-feira, 18/10, na UFPE.

Buggy
“Garimpo tipográfico em Pernambuco”
www.ustream.tv/recorded/10281831

Rafael Neder (MG)
“Horizonte tipográfico”
www.ustream.tv/recorded/10282040

Ana Farias
“Catalogação de tipos: uma experiência”
www.ustream.tv/recorded/10282359

Dani Rios e Fernanda Souza (GO)
“Herança tipográfica:
da Tipografia Minerva à Tipô Tipografia”
www.ustream.tv/recorded/10282970

Claudio Rocha (SP)
“Conexão Letterpress”
www.ustream.tv/recorded/10283423

Fátima Finizola
“O letreiramento popular como fonte
de inspiração para a tipografia digital”
www.ustream.tv/recorded/10285830

Jarbas Agra
“Registros da Litografia no Recife
e a indústria litográfica pernambucana”
www.ustream.tv/recorded/10286272

Silvio Campello
“Memória gráfica como fonte de repertório”
http://www.ustream.tv/recorded/10286513

Isabella Aragão
“Um breve panorama dos catálogos
de tipos das fundidoras Funtimod e Manig”
www.ustream.tv/recorded/10287033

Mesa redonda “Caminhos do Letterpress”
www.ustream.tv/recorded/10287310

Claudio Rocha (SP)
Lançamento da Tupigrafia 9
http://www.ustream.tv/recorded/10288121

Para saber mais sobre o evento visite também www.tipocracia.com.br/diatipo/PE

Fonte: Henrique Nardi

Tipografia no 5UP3RM3RC4D0

Olá, você que gosta de tipografia com certeza deve ter reparado nos cartazes de promoções dos supermercados. Já parou pra perguntar quem faz e como faz?

Tipografia Vernacular nos Supermercados de Balneário Camboriú

Nós resolvemos investigar sobre isso e fomos aos supermercados de Balneário Camboriú em busca de informações e imagens. Veja o que descobrimos.

Quem faz
Em todos os supermercados pesquisados existem profissionais com a função específica de fazer esses cartazes, são os cartazistas. Entrevistamos 6 desses profissionais para saber qual a sua formação, quando iniciaram a atividade e como trabalham.

Nenhum deles tem formação acadêmica na área de Tipografia, ou outra relacionada. Três declararam ter iniciado no supermercado em outra atividade e depois foram promovidos para o setor por ter uma letra bonita. Os outros tem experiência como letristas ou grafiteiros, e por isso ingressaram nessa atividade. O tempo de atuação na área vai de 2 meses a 2 anos. Mas um dos entrevistados já está na atividade a mais de 10 anos.

Três dos entrevistados receberam treinamento nos próprios estabelecimentos para se aperfeiçoar e seguir um padrão para que os cartazes tenham uma unidade não só na loja, mas em toda a rede de supermercados.

Durante as entrevistas foi possível perceber a grande paixão desses profissionais pelo seu trabalho.

Como faz?

Em dois dos supermercados foi possível visitar o espaço de trabalho dos profissionais e acompanhar o seu processo de produção. Um desses cartazistas possuia uma tabela explicativa com uma sequência no traçado pré-estabelecida para cada letra e número.

Desenho de Letras

Sequência para o desenho das letras

Constatamos também que a maioria dos profissionais usa Metiq®, uma marca que oferece produtos nas linhas de escrita, precificação, etiquetas customizadas, identificação e promoção. Em um dos supermercados esses profissionais customizaram o material usado de forma criativa, conseguindo assim um efeito diferenciado no desenho da letra.

O processo de produção é basicamente o mesmo em todos os estabelecimentos. Eles recebem diariamente do setor de marketing ou administrativo uma listagem de produtos em promoção e colocam essas informações em cartazes que tem a marca do supermercado.

Durante uma das entrevistas foi possível acompanhar a produção de 2 cartazes e chamou muito a atenção a preocupação com a organização da mensagem. O cartazista nos explicou que segue sempre um código cromático, usando uma determinada cor para os nomes de produtos, outra para as marcas, outra para os preços e assim por diante.

Embora existam padrões e regras a serem seguidos, cada um deles deixa uma pouco de seu “estilo” nas peças que faz. Seja pelas variações no desenho da letra, pela forma de segurar os pincéis ou pelo posicionamento das informações.

Observamos ainda no primeiro mercado que visitamos que eles utilizavam de cartazes reaproveitáveis, apagando e reescrevendo as ofertas quantas vezes fossem necessárias.

Conclusão

Produção do cartaz NossoTipo

Com essa pesquisa concluímos que mesmo com toda a tecnologia disponível atualmente, a tradição dos cartazes feitos a mão se mantém e tem muito tempo ainda pela frente. Além de informativos e práticos, eles estão lá pra lembrar que tem pessoas talentosas fazendo seu trabalho com muita dedicação e habilidade.



A equipe NossoTipo agradece a colaboração dos seguintes supermercados e profissionais:

Angeloni: Tiago Nogueira, Natália Mátia e Jean Ventura (marketing)
Big: Juceny da Silva
Imperatriz: Gerusa Mauricio
Mini Preço: Henrique Carrinho Junior
Xande e Speciale: Nilson Araújo

Ops…já faz um ano

1 ano de NossoTipo

1 ano de NossoTipo

Há um ano atrás, no dia 28/09, acontecia a primeira reunião do projeto NossoTipo, que ainda nem tinha esse nome.

Na primeira reunião estavamos eu, a Bruna, a Maritza, o Rafael e o Marcio, além do Felipe e do André que participavam a distância. Depois de muita conversa e brainstorming, definimos que o nome do projeto seria “Tipo V+” Tipografia Vernacular no Sangue.

A idéia era boa, mas não pegou, o logotipo não saia e algumas reuniões depois mudamos para NossoTipo, que aliás foi um nome que surgiu também nessa primeira reunião.

No dia 12 de novembro o projeto finalmente tinha nome, sobrenome e logotipo.

Depois disso veio a BC Ding, oficina de stencil, o blog, muitos post no Twitter, pesquisas e “a luta continua companheiros”, hehehe.

E esse ano ainda tem muita coisa pra acontecer.

Obrigada e continuem por aqui!

Profª Mary Meürer
Coordenadora do projeto

Créditos da Imagem: Fonte Sr. Sumizuno criada pelos alunos Paulo Hintz, Eduardo Braga e Flavia Waltrick. O stencil é de autor desconhecido.

A tipografia vernacular na Amazônia

Vale a pena conferir o trabalho final da especialização em Semiótica e Cultura Visual, na Universidade Federal do Pará (UFPA) realizado pela aluna Fernanda Martins.

Fotos das embarcações na Amazônia

Fotos de Fernanda Martins sobre as embarcações atracadas em Macapá.

Letras que flutuam: o abridor de letra e a tipografia vitoriana, compara a tipografia popular dos barcos e estabelecimentos comerciais da Amazônia ao estilo vitoriano do século XIX.

Você pode ler mais sobre a pesquisa no blog Papel Digital ou acessar a monografia finalizada.

Boa leitura!

Design de Tipos Digitais no Brasil

E para quem está procurando um bom artigo para ler, recomendamos esse: Indicações quanto ao Design de Tipos Digitais no Brasil, nele Ricardo Esteves Gomes fala sobre o processo de consolidação do design de tipos digitais no Brasil, e identifica os designers que influenciaram esse processo.
Esse artigo é parte da pesquisa realizada durante o mestrado de Ricardo e a dissertação finalizada também está disponível:  O Design BrasileiroTipos Digitais: elementos que se articulam na formação de uma prática profissional. Confiram!